Desenvolvida após 15 anos de pesquisa por professores da Universidade de Turku, na Finlândia, o “País mais feliz do mundo”, a plataforma Eduten Playground traz a linguagem dos games para os exercícios matemáticos, a fim de que o aluno aprenda de forma lúdica

 

A Matemática é uma das disciplinas com as quais os estudantes do Ciclo Básico mais tem dificuldades de aprendizado. Segundo dados do Sistema de Avaliação Básica (Saeb) do Ministério da Educação, em uma década (2007 – 2017) o percentual de alunos que concluíram o Ensino Médio com aprendizado considerado “adequado” em Matemática ficou na casa dos 9%. Para efeito de comparação, o mesmo indicador para Língua Portuguesa oscilou entre 24,5% e 29,1% no mesmo período. Para colaborar com a reversão desse quadro, já está disponível no Brasil uma plataforma inovadora para o ensino desta disciplina da área de Exatas: a Eduten Playground, que se propõe a tornar mais “feliz” a prática dos exercícios matemáticos.

A plataforma Eduten Playground foi desenvolvida com base em amplo estudo coordenado durante 15 anos por pesquisadores da Universidade de Turku, na Finlândia, eleita pelo terceiro ano consecutivo como “o País mais feliz do mundo”, segundo ranking elaborado pela ONU. A ferramenta se destaca pela aplicação de uma metodologia que considera: a necessidade de constância na realização de exercícios matemáticos, ou seja, a sequência de tentativas, erros e acertos, até que se domine o conteúdo ensinado; e a ludicidade: na plataforma Eduten, os alunos fazem exercícios “brincando”.

“A plataforma reúne mais de 15 mil exercícios, desenvolvidos com a linguagem de video-game. O aluno ‘joga’ e, ao mesmo tempo, aprende Matemática, sendo estimulado a evoluir, a percorrer diferentes ‘fases’, parabenizado quando completa uma etapa e incentivado a não desistir, caso erre algum exercício”, explica a Professora Patrícia Amaral, da empresa de suporte estratégico para a área Educacional Pro for Edu (Pro4Edu), empresa responsável pela operação da ferramenta Eduten Playground no Brasil, em parceria com a Base2Edu. “Essa inovadora plataforma propõe aprender Matemática de forma ‘feliz’ e é isso que queremos proporcionar aos alunos das escolas brasileiras”, completa o Professor Alexandre Merofa, cofundador da Base2Edu, entidade engajada na promoção de iniciativas de Educação Transformadora.

 

Como funciona

O acesso à plataforma Eduten Playground é feito mediante login e senha individuais, a partir do site: www.eduten.com. Na página, estão disponíveis diferentes opções de conteúdo e, para cada um deles, há uma sequência de exercícios, apresentados em forma de jogos. O layout é objetivo, a fim de que o aluno se concentre no aprendizado de Matemática e não se distraia com outros recursos.

Exemplo de exercício de multiplicação: o carrinho deve se dirigir até a resposta correta

 

Os 15 mil exercícios disponíveis na plataforma possibilitam a realização de cerca de 200 mil operações matemáticas. O tempo recomendado para que o aluno permaneça conectado à ferramenta é de 45 minutos, que podem ser distribuídos em uma ou mais sessões durante a semana. O professor também pode acompanhar a evolução de seus alunos por meio da plataforma e, na sala de aula, fazer intervenções pontuais, caso sejam necessárias. Dessa forma, o educador atua de forma mais assertiva em sua prática pedagógica.

Isso é possível porque a plataforma Eduten oferece análise de aprendizado baseada em Inteligência Artificial, proporcionando maior visibilidade em relação aos processos de aprendizado individuais. Dessa forma, a ferramenta se automatiza e adapta aos fluxos de trabalho existentes dos professores. Além disso, personaliza-se com facilidade a qualquer currículo.

A plataforma Eduten foi desenvolvida para alunos na faixa etária dos 6 aos 15 anos. A ferramenta se ajusta às necessidades pedagógicas de escolas tanto da rede pública quanto privada. Inicialmente, a ferramenta está disponível em Inglês. Mas a expectativa é de que, já a partir de 2021, todo o conteúdo de Eduten Playground possa ser acessado em Português.

 

Bom trabalho! Exemplo de reconhecimento ao aluno após o término de uma sequência de exercícios

 

Experiência de escola brasileira

O Colégio Filomena de Marco, em São Paulo (SP), participa de um projeto piloto para testes e implantação do uso da plataforma Eduten Playground, junto aos alunos do 7o ano do Ensino Fundamental. Para a diretora Marcia Rocco, o diferencial da ferramenta está nas condições que a mesma oferece ao professor para acompanhar o desempenho de sua turma. “O educador tem parâmetros para trabalhar as incorreções e aprimorar aquilo que está dando certo”, comenta a diretora. “A procura pela melhoria do Ensino  da Matemática no Brasil se dá através de empresas preocupadas com a educação dos brasileiros. A EDUTEN é uma destas empresas engajadas em proporcionar ao educando uma melhor habilidade no raciocínio lógico”, completa.

 

Resultados

Mais de 300 mil alunos e professores, de 33 países, já utilizaram a plataforma Eduten Playground desde o seu lançamento na Finlândia, em 2011. Em seu País de origem, a adesão à ferramenta chega a 60% das escolas, considerando que, lá, os professores têm total autonomia para escolher os métodos ou materiais didáticos que irão (ou não) utilizar.

Em pesquisa realizada junto a mais de 2 mil professores, 98,7% aprovaram o uso da plataforma e manifestaram a intenção de continuar a utilizá-la. O impacto também é comprovado nos resultados de aprendizagem: ao longo de 12 anos de pesquisa universitária, observou-se uma melhoria de até 20% nas notas dos estudantes que utilizaram a ferramenta.

Os resultados também são expressivos em outros países onde a plataforma é utilizada. Em Dubai, por exemplo, após oito semanas de implantação a fluência dos alunos em Matemática evoluiu 24,6%. Na Lituânia, após 15 semanas de interação, a fluência dos estudantes na disciplina registrou um incremento de 45%.

 

Informações para Imprensa

 

R&F Comunicação Corporativa

Erick Santos – esantos@rodrigues-freire.com.br

Isabel Rodrigues – irodrigues@rodrigues-freire.com.br

(11) 3628-5080

 

 

 

Voltar

Quer comentar sobre o assunto?

WhatsApp chat